quinta-feira, 4 de julho de 2013

Shama e Núcleo de Diversidade Sexual denunciam violência homofóbica na Câmara



O presidente da Associação Shama e Coordenador do Núcleo de Diversidade Sexual da Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura Municipal de Uberlândia, Marcos André Martins, usou a tribuna da Câmara Municipal hoje (04/07/2013), para denunciar as agressões brutais sofridas por Gilvan Melo, assessor parlamentar, 21 anos, ocorridas dia 27 de junho, no bairro Morumbi. 
Um grupo de militantes e ativistas do movimento LGBT, familiares e amigos da vítima ocuparam o plenário da Câmara com faixas, bandeiras e cartazes cobrando providências das autoridades. “Gilvan sofreu politraumatismo craniano devido a pedradas na cabeça, está em coma induzido e o seu estado continua grave e sem alterações”, informou Marcos André Martins, procurando sensibilizar os vereadores e a Comissão de Direitos Humanos da Câmara para atuar no caso, por ele considerado um dos mais bárbaros já verificados em Uberlândia. 
Da tribuna, o dirigente pediu aos vereadores todo empenho para aprovar, o mais breve possível, uma lei que puna a violência e a discriminação contra Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais na cidade. “Ainda ontem entregamos ao prefeito Gilmar Machado uma minuta de projeto de lei neste sentido, que é fruto de discussões do movimento nos últimos seis anos, e agora esperamos que ele o apresente aos senhores nesta”, acrescentando que o vereador Mário Milkem, para quem Gilvan trabalha, disponilizou apoio à família e para a confecção de 59 camisetas com foto de Gilvan para continuar a mobilização cujos dizeres serão “Gilvan Vivo” – “Deus não é Homofóbico”.