sexta-feira, 26 de setembro de 2014

QUEM FICA EM CIMA DO MURO CAI DE UM LADO OU DE OUTRO!


A menos de um mês das eleições e a população brasileira ainda espera muitos golpes e contragolpes, fatos e factoides disputando a consciência dos eleitores, principalmente no caso da Presidência da República. Quem se lembra da sujeirada que foi a última campanha para este cargo máximo? Antes chamavam de dossiê, agora, textos pictografados após supostamente declarados - então pra quê? - por um suspeito de corrupção na Petrobrás à revista Veja. 
Mas primeiro um terrível acidente de avião acabou atingindo as lésbicas, gays, travestis, transexuais, transgêneros e simpatizantes do Brasil ao colocar a evangélica Marina Silva na disputa principal, pois, entre abraços com o deputado Feliciano – que nos quer doentes – dentre outras forças evangélicas, passou uma borracha em cima das nossas reivindicações contidas no seu plano de governo, que era de Campos! 
É evidente que a comunidade LGBT precisa ficar atenta e exercitar sua capacidade crítica aos principais, senão a todos os pontos dos planos de governo de todos os candidatos, não apenas em questões que nos dizem respeito exclusivo. As conquistas sociais, as concepções de desenvolvimento econômico, os apetites em torno do Pré Sal, as propostas para a Educação e a Saúde. Mas a questão da sexualidade atualmente, e não só no Brasil, mas no mundo todo, tornou-se um divisor de águas entre civilização e barbárie, tanto quanto a condução política das questões religiosas. Quem não vê que cresce no Brasil anseios de Poder Político e Econômico gestando um Estado Evangélico, tal como o tal Estado Islâmico no Oriente Médio?
A diretoria da Shama, a parte essa crítica necessária à candidatura Marina Silva e ao fundamentalismo religioso, e apenas a diretoria, divide seu voto entre Dilma Rousseff e Luciana Genro, bem como conclama a toda a comunidade LGBT a lutar pela reforma política, esteja quem estiver no comando da nação, e mais ainda caso seja a Marina ou Aécio. 
Sabemos que, tanto quanto em relação a eles, presidenciáveis, nossas dificuldades estão igualmente localizadas no Congresso Nacional. Votar nos deputados federais, senadores e deputados estaduais que respeitem a vontade dos cidadãos, que é de acabar com os financiamentos de campanha pelos empresários, foco maior de toda a corrupção hoje no país, e que atinge a maioria dos partidos, ao mesmo tempo respeitem os nossos direitos e se comprometam com as nossas reivindicações também é fundamental para que consigamos avançar as nossas conquistas, principalmente a de uma lei que criminalize a homotransfobia, tal como ocorre hoje com racismo, e outra que torne Lei o Casamento Civil. Quem toma posição, enfim, sabe que a luta está em todos os lados da política.
E QUEM FICA EM CIMA DO MURO...