terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Da Invisibilidade Social a VISIBILIDADE TRANS


    Celebrada no Brasil como “Dia da Visibilidade Trans (travestis e transexuais)” no dia 29 de janeiro desde 2004, a data foi instituída pelo Movimento LGBT no Congresso Nacional, através do Ministério da Saúde, quando foi lançada uma campanha pela cidadania e saúde para o público de travestis e transexuais.
  A ONG Shama juntamente com seu Núcleo de Travestis e Transexuais (NATTU) em parceria com o Núcleo de Diversidade Sexual, da Prefeitura Municipal de Uberlândia, realizaram “Blitz Educativa pela Visibilidade Trans”, que teve como objetivo distribuir materiais educativos para a população em geral. A atividade aconteceu na última sexta-feira (29/01) das 9:00 as 18:00 horas na área externa do Terminal Central, próximo a entrada da Av. João Pessoa – Uberlândia/MG
     O que é ser Trans*?
     “Trans” é um termo genérico para designar as pessoas Travestis, Transexuais e Transgêneros que são os representantes do “T” na sigla LGBT. A transgeneridade refere-se à condição onde a expressão de gênero e/ou identidade de gênero de uma pessoa é diferente daquelas atribuídas ao gênero designado no nascimento. O prefixo “trans” significa "além de", "através de". Esses grupos não são homogêneos dado que a não identificação com o gênero de nascimento se dá em graus diferenciados e refletem realidades diferentes.
    A principal e mais importante demanda é uma lei de identidade de gênero, que legitime e facilite a alteração de nome e sexo nos documentos. Inúmeros países possuem leis a respeito. A lei mais avançada é a lei de identidade de gênero da Argentina. Existe na Câmara o PL 5002/13, conhecido como Lei João W. Nery, baseado na lei de identidade de gênero argentina. Da falta de reconhecimento civil da identidade de gênero, decorrem uma série de violações dos direitos fundamentais da população trans no Brasil: dificuldade de conseguir trabalho, acesso a saúde e sistema educacional, penalização da discriminação.
     A ONG Shama, que trabalha pela conquista dos Direitos LGBT desde 2003, oferece as pessoas Trans atendimento gratuito de assessoria jurídica, psicossocial e atendimento em grupo, através do seu núcleo trans, NATTU (Núcleo de Apoio a Transgêneros de Uberlândia), que acontece semanalmente como espaço de debate e troca de experiências entre as pessoas trans que estão nas mais variadas fases do processo transexualizador.