quinta-feira, 20 de abril de 2017

ONG SHAMA EVOLUI PARA COLETIVO SHAMA LGBT

Golpe no Brasil leva o Movimento LGBT para o campo da luta


   Em Assembleia Geral realizada em janeiro/2017, conforme convocação divulgada no Jornal Diário do Comércio, de Uberlândia nos dias 10, 11 e 12/01/17 como rege o Estatuto Social, os participantes e a diretoria da Ong Shama aprovaram a substituição do caráter institucional da entidade jurídica pela construção do COLETIVO SHAMA LGBT, de forma autônoma e independente. “Estamos vivendo um golpe político, com vários agentes nas três esferas de poder no Brasil (Judiciário, Legislativo e Executivo), com a participação direta da grande mídia, e cortar os recursos públicos a entidades e instituições que, como a nossa, vieram lutando pelos direitos LGBT, humanos e de cidadania em geral foi uma das primeiras ações dos atuais governos comandados pelos partidos que primeiro tiraram a presidente da república sem motivo pra isso” declarou Marcos André Martins, primeiro presidente do antigo Grupo Shama. Segundo ele, todos os bens pertencentes à entidade jurídica, também como rege o Estatuto, foram doados à entidade Gadis – Grupo de Apoio às Diversidades e Integração Social, também sediada em Uberlândia.
   Marcos André Martins, fundador da Shama em 2003, e que a presidiu durante anos, analisou o momento atual da entidade. “Vivemos um momento muito importante para o movimento LGBT, pois, diante de tantos ataques, podemos construir e manter nossa organização como fazem todos os movimentos e coletivos cujas propostas são libertárias no Brasil e no mundo todo, e agora, ao lado de todos os demais movimentos que já lutam pelo mesmo objetivo” declarou Marcos, acentuando que a crise política gerou uma crise econômica sem precedentes e que os primeiros a sofrer os seus efeitos, ao lado dos mais pobres, são os LGBT, os afrodescendentes e as mulheres. "O desemprego e o aumento da violência alimentada pelo preconceito, sabemos, são os dois piores no nosso meio”, completou.

Atendimentos continuam

   Marcos informou que os programas de assessoria jurídica e Atendimento Psicológico gratuito, continuam ativos e sendo realizados às segundas-feiras, das 14 às 18 horas, pela Universidade Federal de Uberlândia, Campus Santa Mônica, bloco 5-V, entrada pela Avenida Segismundo Pereira, telefone: 3291-6356. As profissionais responsáveis pelo atendimento são a advogada Terezinha e a psicóloga Renata.
   O COLETIVO SHAMA LGBT mantém a página que já existe na Internet, com a nova denominação: www.shama.org.br, e também divulga o email: coletivo.shama@gmail.com, com a finalidade de construir o grupo de WhatsApp COLETIVO SHAMA LGBT, na perspectiva de ampliar e intensificar sua comunicação e organização. COLETIVO SHAMA LGBT